3 passos para criar o hábito de estudo

3 passos para criar o hábito de estudo

Imagine a seguinte cena: você olha o relógio e se dá conta de que está na hora de começar seus estudos, e então se dirige até seu local de estudo.

Chegando lá, você olha seu planejamento de estudos e separa o material que vai ser estudado naquele dia. Você olha para a sua mesa e vê que está tudo arrumado. Seu planejamento é tão eficiente que você sabe exatamente o que estudar e como vai estudar.

Antes de sentar na cadeira você respira fundo, olha ao seu redor, faz um alongamento leve e enquanto ajusta seu cronômetro, sorri pensando no quanto você irá aprender e como sua vida vai melhorar quando passar no concurso.

Enquanto os minutos passam, você se esquece do mundo lá fora. Você está tão concentrado que não escuta o barulho dos carros passando, nem o ruído da TV na sala. Quando alguns pensamentos surgem, você não se deixa distrair por eles. Já aprendeu a controlar tanto as distrações internas como externas e isso lhe permite seguir estudando com o máximo de concentração.

Seu corpo e sua mente estão em perfeita sintonia. Você não se deixa vencer pelo cansaço, nem pelo sono. Você respeita seu corpo e organizou seu planejamento de uma forma que sempre terá tempo suficiente para descansar.

Quando você se depara com uma matéria difícil, você não se desespera. Aquela vontade de “fugir dos livros” já foi superada, pois você adquiriu a confiança de que pode aprender tudo o que for necessário para passar no concurso.

Você já domina e aplica as melhores técnicas de estudo e já sabe exatamente quais os conteúdos que você precisa saber “de cor”.

Ao ouvir o despertar do seu cronômetro, você percebe que está na hora de descansar um pouco. Então você para por alguns instantes, bebe água, vai ao banheiro e volta rapidamente para sua cadeira, pois não quer perder o pique, e retoma seus estudos sem enrolação.

A cada tópico do edital vencido, uma sensação de vitória. Você sabe o que aprendeu e o que ainda precisa aprender; o que precisa ser reforçado e revisado com mais frequência, e o mais importante: você sabe exatamente como vai fazer isso.

Quando você olha o calendário, vê que a data da prova está se aproximando e, embora ainda sinta “aquele frio na barriga”, você se sente seguro e confiante. Você sabe que está no caminho certo.

Dia após dia, essa rotina se repete. Estudar se tornou um hábito, um processo automático. Deixou de ser uma luta interna e se tornou o principal meio pelo qual você conseguirá realizar seu desejo de ser concursado.

A força do hábito


A força do hábito

Se você está com dificuldade para criar o hábito de estudo, provavelmente não vai ser fácil se imaginar na cena descrita acima. Talvez você pense que nunca conseguirá se concentrar de verdade, que não tem  a disciplina e a força de vontade necessárias para  manter uma rotina diária de estudos.

Esses pensamentos aos poucos tornam a tarefa de estudar cada vez mais difícil e acabam minando a sua motivação e autoestima.

Mas não precisa ser assim. Se você está passando por essa situação e está com dificuldade para criar um hábito de tudo, saiba que a culpa não é sua.

Na primeira parte desse artigo, escrevi por que é tão difícil começar (ou recomeçar) a estudar. Que os obstáculos enfrentados  por quem deseja começar uma nova rotina estão intimamente ligados a como seu cérebro encara um novo hábito.

Também expliquei a você as importantes descobertas científicas a respeito do nosso cérebro  e que os hábitos são criados para que ele consiga poupar esforço e energia mental.

Os desafios enfrentados ao tentar inserir uma nova rotina são muitos  e esse processo pode transformar-se em uma verdadeira batalha interna.

A boa notícia é que uma vez que você fica consciente do que está acontecendo dentro da sua cabeça, fica mais fácil vencer essa “batalha” e romper com os obstáculos que estão impedindo você de estudar de maneira eficiente.

Ao estudar detalhadamente os hábitos de diversas pessoas, pesquisadores identificaram um padrão sequencial de acontecimentos que indicam ao cérebro qual hábito deve usar. Essa sequência foi divida em três partes: Gatilho, Rotina e Recompensa.

Nesse artigo irei mostrar a você como funciona cada componente do hábito e o passo a passo para  você  criar (e manter!) o hábito regular de estudo  de maneira simples e eficaz.

Siga lendo e aprenda:

• 3 gatilhos poderosos para criação do hábito de estudo;
• 3 tipos de rotinas presentes em um hábito;
• como definir recompensas que irão ajudá-lo a criar o hábito de estudo

Está gostando desse artigo? Coloque seu e-mail abaixo para ser o primeiro a receber gratuitamente dicas surpreendentes sobre como estudar para concursos públicos!

CONTEÚDO VIP

Insira seu e-mail abaixo e receba gratuitamente dicas surpreendentes sobre como estudar para concursos públicos!

Fique tranquilo, NUNCA enviamos spam!

 

3 passos para a criação do hábito de estudo


3 passos para a criação do hábito de estudo

1º  Passo: defina um GATILHO

O gatilho é uma das partes mais importantes do hábito. É ele que irá lembrar ao cérebro qual rotina ele deve executar.

O gatilho pode ser:

Horário: um dos gatilhos mais simples e eficientes que existem. Mas, para que funcione, você deve estudar sempre no mesmo horário. Portanto, escolha bem qual é o melhor horário para você começar a estudar e se programe para que nada o atrapalhe.

Para que esse gatilho se torne mais eficaz, use um despertador para avisar que está na hora de estudar e, assim que ouvir o alarme, inicie imediatamente sua sessão de estudo.

• Local: defina um local e estude sempre no mesmo lugar. Seu ambiente de estudo precisa ser limpo, organizado e silencioso. Você precisa se sentir bem nele. Se não for possível estudar na sua casa, use uma biblioteca.

• Estímulo visual: organize seu material e o deixe em um lugar estratégico e de fácil acesso.  Nosso cérebro precisa saber exatamente o que será estudado e se sente desconfortável em meio à desorganização e excesso de informações desnecessárias. Um ambiente de estudos “bagunçado” acaba enviando ao nosso cérebro a ideia de que a tarefa a ser realizada é maior e mais complexa do que ela é realmente.

Outro estímulo muito eficaz é deixar visível uma foto de alguém que é importante para você e que lhe incentive a continuar estudando, ou uma imagem de um dos sonhos que pretende realizar quando passar no concurso.

Esses são apenas alguns exemplos de gatilhos. Além desses, existem muitos outros que você pode usar. Mas vale ressaltar que para criar um hábito você precisa escolher o gatilho e executá-lo dia após dia, até que você esteja tão acostumado com ele que irá começar a sua rotina de estudos automaticamente.

2º Passo: crie uma ROTINA


2º Passo: crie uma ROTINA

A rotina é o comportamento desencadeado pelo gatilho. Muitas vezes é a parte prática do hábito.

A rotina pode ser:

• Física: é a  maneira que você estuda. Essa é a parte mais óbvia e visível do hábito, por isso é muito fácil de identificar e aprimorá-la.

É muito importante que você descreva o tipo de rotina ideal e que inclua no seu planejamento os detalhes dessa rotina como: as matérias que quer aprender, o tempo que vai se dedicar a isso e como vai estudar.

• Mental: acontece quando você tem uma sequência de pensamentos automatizados (que podem ser sabotadores ou motivadores) que o levam a agir de determinada forma.

Esse tipo de rotina é mais difícil de perceber, por isso você precisa estar atento para identificá-la e mudá-la quando necessário.

Por exemplo, ao se deparar com uma matéria que você sempre teve dificuldade (gatilho), imediatamente você começa a ter uma série de pensamentos sobre isso (rotina): “que matéria difícil; eu nunca fui bem nessa matéria; não sei se consigo aprender…”

Tome muito cuidado com esse tipo de rotina mental, pois elas podem arruinar seus estudos. Isso normalmente acontece porque, sem perceber (e sem querer) você sabota a si mesmo ao usar um  mau hábito criado anos antes, provavelmente ainda na escola, quando teve uma experiência ruim com determinada matéria.

Quando se deparar com uma situação desse tipo, substitua esses pensamentos por outros mais positivos. Se concentre nas suas conquistas e nos seus avanços atuais. Não fuja da matéria. Lembre-se que, usando as técnicas corretas, você é capaz de superar todos os  obstáculos.

• Emocional: mais um exemplo de rotina que acontece internamente.

São as reações que você tem diante de um determinado acontecimento (gatilho).

Por exemplo, a sua reação quando seu planejamento de estudos não sai do jeito que você queria e você demora um pouco mais para entender e aprender uma determinada matéria; quando seu edital demora mais do que você imaginava ou mesmo quando você descobre que a concorrência para o concurso que tanto aguardava é maior do que você imaginava.

Ao se deparar com tais situações você fica frustrado e desiste fácil? Culpa-se por não estar saindo tudo do jeito que você queria? Ou segue em busca de alternativas para reverter a situação a seu favor?

Nem sempre tudo vai sair exatamente como o planejado e muitas vezes a sua capacidade de lidar com imprevistos será testada. Quando isso acontecer, lembre-se do motivo pelo qual está estudando e mantenha o foco.

Vale ressaltar que as suas rotinas mentais e emocionais são tão importantes quanto as rotinas físicas, e que aquelas devem ser observadas.

Não basta apenas preparar os materiais, ter o ambiente de estudo perfeito, contar com os melhores professores, se você não estiver atento aos hábitos sabotadores que estão escondidos na sua mente e que podem estar impedindo você de ter bons resultados.

Portanto, antes de começar a estudar leve em consideração esses 3 tipos de rotinas e avalie em qual delas você precisa melhorar.

Até aqui, você aprendeu mais sobre a estrutura dos hábitos. Entendeu um pouco mais sobre a importância de escolher os gatilhos para criar o hábito de estudo e os diferentes tipos de rotinas. Agora vamos passar para o terceiro e mais importante passo para criação do hábito de estudo.

3º Passo: defina a RECOMPENSA


3º Passo: defina a RECOMPENSA

Sem dúvidas essa é uma das partes mais importantes do hábito. Os cientistas descobriram que é através da recompensa que o cérebro decide se vale apena repetir o mesmo comportamento e criar um hábito.

Por esse motivo, definir uma recompensa pode ser  a chave para o desenrolar do hábito.

Saber antecipadamente que depois de enfrentar horas de estudos você será muito bem recompensado por isso, é fundamental para criação do hábito de estudo.

As recompensas podem ser:

Físicas: um descanso depois que terminar a sessão de estudos; pode ser navegar nas redes sociais, dar um passeio com os amigos, assistir televisão, etc.

Emocionais: a sensação de vitória ao terminar um tópico importante do edital;  o prazer por ter acertado muitas questões, o orgulho ao  conseguir por em prática seu planejamento de estudo.

A cada etapa vencida, sendo ela diária ou semanal, sempre comemore recompensando seu esforço e sua dedicação.

Pensar na(s) sua(s) recompensa(s) futura(s) pode ser muito motivador também:

♦ Visualizar seu nome escrito no diário oficial e (depois de um tempo) no contracheque.

♦ Tirar um tempo para planejar como você vai comemorar quando sair o resultado da prova.

♦ Imaginar a reação das pessoas de que você mais gosta, os abraços que você vai receber.

♦ Visualizar as mudanças que a conquista desse cargo irá lhe trazer…

Pensar na(s) as recompensa(s) é fundamental e irão ajudar você a criar e a manter o hábito de estudo.

Para facilitar, eu citei alguns exemplos, mas essa tarefa é sua. Pare por alguns minutos e defina quais são as recompensas mais importantes para você. Lembre-se de que essas recompensas precisam ser algo significativo para você e pelas quais vale a pena se esforçar.

Inclua as recompensas no seu planejamento de estudo a curto prazo (logo após o estudo); em médio prazo (uma vez por semana) e em longo prazo (uma vez por mês).

Estipule a(s) recompensa(s) e o horário para usufruir delas, sempre usando de bom senso. 😉

Conclusão:


Conclusão

Criar o hábito de estudo é um dos passos mais importantes que você dará rumo à sua aprovação e é fundamental que você consiga passar por esse processo o mais rápido possível.

Para facilitar esse processo, você deve usar a estrutura completa do hábito descrita nesse artigo:  gatilho, rotina e recompensa.

Ao definir o que fazer e como fazer, você estará ajudando o cérebro a poupar esforço e a se concentrar na matéria, o que tornará seu estudo tão produtivo como o descrito no início deste artigo. 😉

A tarefa não será fácil, mas ao persistir diariamente na construção do seu hábito de estudo, você estará cada vez mais próximo de atingir o seu objetivo: ser concursado!

Acredite. Você é capaz de fazer acontecer!

Espero que essas dicas tenham sido úteis para que você consiga finalmente criar o hábito de estudo.

Você gostou desse artigo? Acha que essas dicas podem ajudar mais pessoas a criar o hábito de estudo? Então, por favor, compartilhe-o com seus amigos. Desse modo, todos sairemos ganhando.

Aproveite também para deixar um comentário aqui no blog, adoraríamos saber sua opinião sobre esse assunto.

Um abraço e até a próxima! 😉

Tanaína

Idealizadora do projeto Quero Ser Concursado. Tem como missão ajudar concursandos a aprenderem a estudar de acordo com o funcionamento do cérebro, através de um método baseado nas mais recentes descobertas da neuroaprendizagem.

CONTEÚDO VIP

Insira seu e-mail abaixo e receba gratuitamente dicas surpreendentes sobre como estudar para concursos públicos!

Fique tranquilo, NUNCA enviamos spam!